Breve História

 

CLUBE PORTUGUÊS DOGUE DE BORDÉUS

O Clube Portugues Dogue de Bordeus foi constituído a 12 de Setembro de 2009, sem fins lucrativos e tem como objecto:

  • Publicar artigos que fundamentalmente tratem de assuntos cujo objectivo é dar a conhecer, difundir e apreciar a raça.
  • Apoio directo a criadores, e aficionadas da raça, membros do clube.
  • Organizar Exposições Nacionais Monográficas no quadro das Exposições Nacionais do CPC, e devidamente autorizadas por este organismo.
  • Registar em forma de listagem os machos reprodutores.
  • Publicar o Standard da Raça com tradução para o Português, sempre que este sofra alterações emitidas pelo FCI.
  • Estabelecer e difundir comentários ao standard, extensíveis a juízes da raça.
  • Favorecer a relação entre sócios, ajudá-los e guiá-los na criação do Dogue de Bordeus.
  • Colaborar com o CPC para uma maior pureza e exactidão das inscrições no Livro Origens Português.

A Constituíção do clube foi feita por amantes da raça; João Carvalho, Jorge Amorim, Jorge Freixial, Joana Pacheco, Milton Cavaco, Henrique Viçoso, Sergio Cristino,Vitor Magalhães,Renato Madeira, Pedro Belga e Bruno Quintela.

Obrigado e ajude-nos a crescer e a evoluir.

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

A RAÇA

O Dogue de Bordeaux é um dos mais antigos cães franceses, provavelmente descendente da Alanos e, em particular, Gaston Phebus (ou Phoebus) disse, no século XIV, no seu Livro de Chasse "tem a mordida mais forte que três galgos ."

mastiff aparece no final do século XIV. Em meados do século XIX, estes mastins antigos eram mal conhecido fora Aquitaine.

Eles foram usados ​​para caça grossa (javali) luta (muitas vezes codificada), para guardar casas e animais, servindo os açougueiros.

Em 1863 teve lugar em Paris, no Jardim Zoológico, o primeiro show dog francês. O Dogue de Bordeaux foram inscritas em seu nome atual. Foi tipos diferentes: Tipo de Toulouse, o tipo de Paris e o tipo de Bordeaux, a origem do dogue de hoje.

Raça que sofreu muito durante as duas guerras mundiais, a ponto de ser ameaçada de extinção após a guerra de 1939-1945, decolou na década de 1960.

  • um padrão ("Caráter mastins reais") em Pierre Megnin, o Dogue de Bordeaux, 1896.
  • • segundo padrão em J. Kunstler estudo, crítico do Dogue de Bordeaux de 1910
  • • 3 padrão por Raymond Triquet, em colaboração com o Médico Veterinário Maurice Luquet, 1971
  • • 4 padrão reformulado de acordo com o modelo de Jerusalém (FCI), por Raymond Triquet colaboração com Philippe Sérouil, Presidente, e da Comissão da Sociedade de Amadores de Dogue de Bordeaux, de 1993.
  • • Padrão declarou em 2007 por Raymond Triquet (Presidente Honorário da SADBs), Sylviane Tompousky (Presidente da SADBs) e Philippe Sérouil (membro da Comissão de SADBs)